Há mais de 150 anos no mercado químico, a empresa mostra que é possível inovar e produzir de forma sustentável


Atuando no mercado há mais de 150 anos, a BASF é uma empresa do setor químico. Ademais, é pioneira em produzir de forma sustentável, reforçando sempre sua preocupação com o meio ambiente. Além disso, contribui de forma positiva para a sociedade como um todo. Desse modo, ela faz a diferença para o mundo sem visar apenas a lucratividade a qualquer custo.


No ano de 2001, mais precisamente no mês de junho, a BASF foi uma das primeiras no mercado a organizar um Conselho de Sustentabilidade. Com o objetivo de garantir os princípios do desenvolvimento sustentável, ela implanta essa cultura em todo o seu grupo. Só para ilustrar, um grupo formado por 38 unidades de negócio regionais e 10 unidades de negócios globais.


Todas essas unidades passaram por restruturação organizacional, assim, a empresa se aproximou mais do seu cliente e marcou definitivamente sua presença no mercado. Além disso, divulgou suas metas referentes à proteção e segurança ambiental. Portanto, é um trabalho todo pautado em inovação e ações positivas para o meio ambiente e para as pessoas.

Ecossistemas digitais


Estabelecendo também a cultura de inovação, a BASF vem trabalhando em projetos ao longo dos anos que promovem a inserção de seus clientes no processo de criação de soluções para suas demandas. Ademais, envolvem seus stakeholders na criação de ecossistemas digitais. A engenheira química Mirella Lisboa, gerente de inovação aberta e ecossistemas digitais da BASF, explica um pouco sobre isso:

“O conceito de ecossistema digital, por definição, tem muito a ver com a integração de todos os departamentos internos, dos fornecedores, das ferramentas, de todos os sistemas que uma empresa tem. Desse modo, tem como foco aumentar o fluxo de dados da empresa, gerar velocidade, para com isso impulsionar o desenvolvimento do negócio. Ademais, hoje, várias pesquisas mostram que mais importante do que se ter dados é usar esses dados para gerar insights e agregar valores.”

Porém, no mundo dos negócios, os ecossistemas digitais assumem o papel de formar uma rede que reúne fornecedores, clientes, parceiros de negócios, startups, universidades e as organizações de terceiro setor. Desse modo, gera-se um grande valor através desse ciclo. Portanto, a BASF utiliza hoje esta nomenclatura como forma de ir além do conceito de plataformas digitais. Sendo assim, ela trabalha em parceria e não mais de forma individual.

Como a inovação é trabalhada na BASF


A empresa foi uma das pioneiras em processos de inovação e trabalha com sua equipe de colaboradores. Tudo isso com o intuito de deixa-los à vontade para usarem sua criatividade a fim de melhorarem os métodos de trabalho e aproximação com seus clientes. Além disso, a BASF colocou em prática algumas iniciativas que destacam ainda mais esse conceito do que é inovação e como ela é trabalhada dentro da empresa.

“A BASF tem 2 programas de aceleração de startup, um com a Suvinil, que é o Fora da Lata, em parceria com a Liga Ventures. E nós temos também um programa de aceleração em agro, chamado Agro Start, [em parceria] com a Ace, uma outra aceleradora. São iniciativas que realmente trazem muito resultado, muitas inovações disrruptivas e ajudam também a desenvolver um mercado de startups.”


Dentro do setor de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D), a BASF é reconhecida no mercado pelo seu protagonismo em inovação e cria novas moléculas nas áreas de produção e logística. Além de manter o olhar atento às novas tecnologias que surgem para otimizar os processos, diminuir custos e facilitar o trabalho dos operadores que estão em campo.


Ainda dentro das ações de inovação, 3 áreas ganham destaque, sendo elas: ecossistemas digitais, a área de transformação digital e a área de e-commerce focado no B2B – um modelo de negócios em que duas empresas se relacionam como cliente e fornecedor. Sobre essas áreas, Mirella diz:

“A área de inovação aberta em ecossistema digitais tem como pilar o nosso centro de experiências cientificas digitais que, basicamente, é a área onde estabelecemos as conexões com os parceiros externos com foco em trazer soluções inovadoras para o nosso cliente. A área de transformação digital é focada em projetos de tecnologia. Tudo que a gente pode agregar dentro da companhia para facilitar também a operação das nossas áreas funcionais dentro do RH, dentro de finanças, dentro do marketing. E a área de e-commerce do B2B, que é a nossa plataforma de vendas digitais focando em pequenos e médios clientes do brasil, de diversos setores dentro da unidade de químicos, toda parte de cosméticos, de nutrição, poliamidas e uma infinidade de mercados.”


Paralelo a essas iniciativas, a BASF completa um ano do seu projeto que é referência em inovação para todo o grupo. Através desse projeto, ganha destaque na América Latina. O Onono é resultante de um movimento bastante atual de empresas com o objetivo de continuarem relevantes em um mercado cada vez mais competitivo e que muda constantemente. Para isso, a BASF criou um centro de experiências científicas digitais. Destarte, promove-se a criação de novos negócios e possibilita uma aproximação maior com seus clientes. Além disso, criam soluções de acordo com suas necessidades e da forma que ele deseja.

América Latina. O Onono é resultante de um movimento bastante atual de empresas com o objetivo de continuarem relevantes em um mercado cada vez mais competitivo e que muda constantemente. Para isso, a BASF criou um centro de experiências científicas digitais. Destarte, promove-se a criação de novos negócios e possibilita uma aproximação maior com seus clientes. Além disso, criam soluções de acordo com suas necessidades e da forma que ele deseja.

Nós criamos um espaço aberto que recebe quem quer chegar, quem quer trabalhar, quem quer estudar, quem quer estar lá para poder trocar uma experiência. Decerto, é um laboratório vivo, um ecossistema vivo, onde é possível você trocar experiência com os diferentes mercados, os diferentes perfis profissionais. Além disso, é um lugar onde nós reunimos consumidores, empreendedores, especialistas e diversas indústrias.” Diz Mirella.


Assim, a BASF vem ao longo dos anos, desenvolvendo seu trabalho também focado na parte social e não exclusivamente na lucratividade do negócio. Dessa forma, realiza conexões mais próximas com seus parceiros e clientes e fomenta a cultura da inovação em todos os setores da empresa.


Mirella Lisboa foi uma de nossos entrevistados em um episódio recente do CorpUp Talks.

Clique aqui se deseja conhecer essa entrevista na íntegra!