O objetivo da Roche Latam é levar formas eficazes de diagnóstico e tratamento para o maior número de pessoas possível.


Há 120 anos, desde quando foi fundada por Fritz Hoffmann, a Roche vem desenvolvendo seu trabalho pautado na inovação. Foi com esse pensamento, que Hoffmann visualizou grandes resultados consequentes de uma parceria entre negócios e ciência. Mesmo ciente dos riscos que envolviam um negócio desse setor, a motivação maior foi a busca por melhorias nas vidas de pessoas que enfrentam doenças como câncer, Alzheimer, esclerose múltipla, hemofilia e doenças respiratórias.


Hoje, a Roche continua o desafio de encontrar novos tratamentos e métodos de diagnósticos que permitam aos médicos uma descoberta mais rápida do tipo de doença que acomete seus pacientes. Além disso, a indicação do tratamento mais eficiente. Por este motivo, a empresa se divide atualmente em Diagnóstica e Farmacêutica. Desse modo, ela oferece o que há de mais tecnológico em diagnóstico in vitro e medicina especializada.

Projetos na área de saúde


Além de todas as pesquisas e desenvolvimento de soluções médicas, a Roche também investe em projetos de inovação na área da saúde que contribuam para um aumento da qualidade de vida de pacientes, desde facilidades no atendimento até o acesso às consultas e medicação adequada. A líder de mudança da Roche, Julie Dehareng, explica um pouco sobre isso:

“A cultura da Roche é uma cultura que a gente chama de caos. Portanto, é muito importante que cada indivíduo, cada colega, se sinta livre, empoderado para incentivar a empreender. Além disso, tem bastante colaboração orgânica, nós falamos muito com os presidentes, identificamos temas que necessitam de uma colaboração maior. O foco do momento depende do contexto.”


Um desses projetos resultou no desafio feito a empreendedores, onde eles deveriam trabalhar em conjunto na busca por soluções que melhorassem o serviço de atendimento aos pacientes oncológicos de duas instituições especializadas no tratamento de câncer, localizadas no México. Este projeto, em especial, foi realizado em parceria com a aceleradora de startups, Endeavor. O time responsável por executar o projeto foi formado por 5 empreendedores selecionados e 5 colaboradores da Roche oriundos de diversos países.

Roche Latam e a Covid-19


Atentos aos reflexos causados pela pandemia de Covid-19 aos sistemas de saúde de muitos países, os programas de inovação da Roche também procuram soluções que diminuam os impactos negativos causados pela doença. Esta preocupação é direcionada principalmente às pessoas que já passam por tratamentos de doenças severas como o câncer ou hemofilia, por exemplo.

“Nossa especialidade é com pacientes que têm doenças crônicas – por exemplo, o câncer – então, nesse momento de Covid-19, nós estamos cuidando para que cada paciente que tenha essa doença crônica possa receber o nível de serviço de saúde que ele precisa. (…) No Uruguai nós temos uma parceria com a Uber para conseguir dar descontos às pessoas que precisam desse transporte para ir ao hospital. No Chile nós temos várias iniciativas de medicina.”

A importância das parcerias para Roche Latam


Todas essas ações são concretizadas por meio de parcerias, pois a empresa entende que é preciso ir em busca de quem tem o conhecimento especializado, para a implementação de cada etapa e o consequente alcance do seu objetivo. Dessa forma, a evolução do trabalho ganha uma agilidade maior, principalmente no que diz respeito às regulações impostas pelos governos.

“Quando eu estou falando de soluções, são parcerias com outro sistema. Mas não só isso, outros empreendedores que já têm uma solução nós ajudamos a escalar e melhorar o valor dessa solução. Em suma, se nós falamos de um chatterbot, nós vamos ter uma parceria com startup que já tem um chatterbot e ajudar com expertise da regulação do país, conseguir ter um conteúdo que agrega mais valor aos pacientes pela nossa experiência, mas que também pode seguir o compliance.” Diz Dehareng.


Essas parcerias diminuem as barreiras e contribuem de forma significativa para a criação de formas inovadoras e sustentáveis. Ademais, elas possibilitam um acesso mais fácil a quem precisa de tratamento médico para doenças que, geralmente, não são atendidas efetivamente pelos grandes laboratórios. Na visão de Julie Dehareng, esse trabalho se torna muito mais fácil quando é realizado em um processo de cocriação. 

“Minha personalidade é muito de abrir as portas para o mundo de fora. Decerto, é bem mais fácil se você já tem um hospital ou se você já tem um médico dentro da sala ou mesmo, bem melhor, ir até o hospital e fazer uma semana de design sprints juntos com cocriação e trabalhar diretamente com o mundo de fora. Porque quando você está na frente de um cliente, do usuário final, é muito fácil alinhar as pessoas. É um grande desafio dentro do mundo corporativo esse alinhamento, é muito lindo.”


Julie Dehareng foi uma de nossas entrevistadas em um episódio recente do CorpUp Talks. Clique aqui se deseja conhecer essa entrevista na íntegra!